A Paciência

Criado por Narrador
Ampulheta

Um imperador da China escolheu um homem seu amigo para governador de uma província.
Este novo governador, antes de assumir funções, pediu ao imperador, seu amigo, um bom conselho para exercer bem este novo cargo.
O imperador, disse-lhe:
— Recomendo-te que, sobretudo, tenhas muita paciência. Assim terás menos dificuldades a enfrentar.
O novo governador disse-lhe que não se esqueceria dessas palavras. Mas o imperador, para o experimentar, recomendou-lhe uma segunda, uma terceira e uma quarta vez a mesma coisa. Foi insistindo:
— Recomendo-te, sobretudo, que tenhas paciência.
O novo governador, já farto de tanta insistência do imperador, disse irritado:
— Julga que sou surdo? Já me recomendou a mesma coisa quatro vezes!
O imperador simplesmente sorriu, dizendo ao novo governador:
— Vês como e difícil ter paciência?

A paciência andou algum tempo fora de moda.
Diziam os moralistas que era uma virtude passiva.
Parece que hoje é preciso recuperar a importância da paciência no relacionamento interpessoal. Uma virtude difícil de praticar.

Comentários

histórias infantis moralistas