As Formigas puseram tudo a descoberto

Criado por Narrador
1920x1080 Wallpaper

O homem caminhava, com cautela, através da floresta. Não havia luar para lhe iluminar o caminho. Mas ele sabia orientar-se na escuridão. Tinha percorrido aquele atalho demasiadas vezes para se poder enganar. De repente abrandou a marcha e dirigiu-se ao tronco oco de uma grande árvore. Pousou o saco que trazia às costas, meteu a mão lá dentro e tirou vários embrulhinhos e sacos para fora. Então, arrumou tudo nas profundezas do tronco da árvore.

Naquela altura, os donos das lojas de uma aldeia vizinha, andavam muito preocupados Devia andar por ali ladrão a trabalhar. Se ao menos conseguissem apanhá-lo! Todos calcularam que devia ser o desconhecido, que vivia algures na floresta. Ele nunca vinha às compras e, no entanto, alguma coisa havia de comer. Ninguém possuía provas que confirmassem essa suspeita, mas todos estavam convencidos de que ele devia ser o ladrão. Não era possível que fosse um habitante da aldeia.

A policia tomou conta do caso. Com o auxílio de um cão policia, seguiram o rasto do homem até a cabana dele. Tudo foi revistado, mas não se encontrou nada.

“Ele não pode ser o ladrão”, disse o polícia ao seu companheiro. “O melhor é regressarmos.” Quando se dispunha a partir, o cão pôs-se a ladrar muito agitado.

“Olhe para isto, senhor,” parecia dizer o cão, observando com excitação um carreiro de formigas. Teriam os seus olhos penetrantes, descoberto que cada formiga trazia um torrão de açúcar para o viveiro, que se encontrava atrás da casa do homem?

Os homens seguiram então as formigas durante algumas centenas de metros. O carreiro terminava no interior de um grande tronco de árvore. Revistaram-no e viram que era oco, e que as mercadorias roubadas estavam lá guardadas. O ladrão tinha ali o valor de cerca de quarenta euros. Debaixo dos despojos, encontrava-se o resto de um pacote de açúcar que tinha atraído as formigas. Cada formiga tinha andado centenas de metros para ir buscar um torrão de açúcar. O ladrão nunca tinha sequer sonhado que as formigas poderiam ir-lhe no encalce.

Comentários

contos infantis outono,historinhas infantis sobre cão