Contos Infantis




Uiiiiii, que mãos tão sujas!

Eu conheço duas mãos, a Manela e a Marta; elas são duas irmãs que andam sempre juntinhas e que se ajudam muito uma à outra! Não passam uma sem a outra! Quando é preciso martelar um prego, a Manela segura no martelo e a Marta, no prego; quando é preciso lavar a cabeça, as duas esfregam muito bem o cabelo para este ficar cheiroso;

Ver mais…


Os Sapatos

Era uma vez um jovem que saiu de casa calçando uns sapatos novos que tinha comprado na véspera. Quando os experimentou pareceram-lhe bons, mas agora sentia que eram demasiado apertados. Passadas algumas dezenas de metros, os pés começaram-lhe a doer. Começou então a queixar-se aos amigos dizendo. — Que desgraça! Só me faltava mais esta! Não posso mais! Enquanto conversava no passeio com um

Ver mais…


A Flor

Uma vez, um homem desiludido da vida sentou-se num banco do jardim. Sentia-se um desgraçado e até chegou a pensar no suicídio. A um certo momento, apareceu-lhe na frente um menino ofegante, que andava por ali a brincar, e ofereceu-lhe uma flor, dizendo; — Esta linda flor é para si. Agarre nela. A flor nem era nada bonita e já estava murcha. Recusou e

Ver mais…


Os Cisnes Selvagens

Era uma vez um rei que tinha doze filhos: onze rapazes e uma menina chamada Elisa. Eram crianças felizes. Passavam os seus dias a brincar no parque do castelo e na escola usavam lápis de diamante e quadros de ouro. Um dia a mãe morreu e, pouco tempo depois, o pai decidiu voltar a casar. A nova mulher tinha muitos ciúmes dos enteados e,

Ver mais…


A Moeda

Um mendigo estava sentado num banco à beira da rua, a pedir esmola. Passou uma criança e parou uns instantes para conversar com ele. Enquanto falava acerca do lindo dia que estava, os seus olhos viram uma moeda de dois euros no chão perto do mendigo. Discretamente, foi pondo o pé sobre a moeda e depois, num gesto rápido, meteu a moeda ao bolso

Ver mais…


A felicidade

Era uma vez um homem cansado de chorar. Decidiu então procurar a felicidade. Olhou à sua volta e viu que a felicidade estava ali mesmo e estendeu a mão para a apanhar. Era uma flor. Apanhou-a mas, quando estava na sua mão, a flor murchou. Era depois um raio de sol. Ergueu os olhos para contemplar a luz, mas esta foi ofuscada por uma

Ver mais…


A História do Compadre Pobre e o Compadre Rico

Moravam numa aldeia dois compadres. Um era pobre e o outro rico, mas muito miserável. Naquela terra era uso todos quantos matavam porco dar um lombo ao abade. O compadre rico, que queria matar porco sem ter de dar o lombo, lamentou-se ao pobre, dizendo mal de tal uso. Este deu-lhe de conselho que matasse o porco e o dependurasse no quintal, recolhendo-o de

Ver mais…


O Menino Sortudo

Numa aldeia viviam dois amigos -um era o Tretas, um miúdo muito trocista e fanfarrão, o outro era um rapazinho mais novo, muito tímido, chamado Zéquinhas. O mais velho andava sempre a pregar partidas ao outro. Assim, um dia em que o Zéquinhas estava a pescar no rio, o Tretas resolveu rir-se dele. -Vou desenhar um mapa a fingir que é o mapa do

Ver mais…


O Astrónomo

Era uma vez um astrónomo, apaixonado pela observação dos astros. Sonhava descobrir alguma estrela ou cometa. Dar-lhe-ia o seu nome e ficaria na história da astronomia. Saía de casa todas as noites com o seu telescópio a fim de observar os astros do firmamento. Um dia, quando vagueava pelos arrabaldes da cidade de cabeça erguida e olhos fitos no céu estrelado, por descuido, caiu

Ver mais…


A Madeira

Uma vez, um lenhador pegou no machado e foi ao bosque com a intenção de cortar uma árvore. Aproximou-se de uma grande e esbelta árvore e abateu-a cruelmente. Depois de ter caído ao chão, cortou-lhes os ramos. Depois levou-a para casa. Ao chegar, perguntou-lhe: — O que gostarias que eu fizesse de ti? A árvore, a chorar a sua desdita, respondeu: — Já que

Ver mais…