Contos Infantis




extraterrestre O Extraterrestre, o Feiticeiro e o Monstro

Uma vez, há muito, muito tempo, aconteceu algo de invulgar. Um extraterrestre, daqueles vulgares que estamos habituados a imaginar, visitou a Terra. Mas fê-lo com um propósito. Veio em busca da sua pomba que fugiu, enquanto o extraterrestre puxava lustro à sua nave. Chegou vestido de soldado, para não levantar suspeitas. Como era muito sociável, rapidamente encontrou um pequeno feiticeiro, mais ou menos da

Ver mais…


peace_pipe_classic O Cachimbo

Uma vez, um grupo de jovens em passeio pelo campo, encontrou enterrado um estranho objecto muito antigo. Depois de o examinarem, pareceu-lhes que era esse tal cachimbo da paz de que já tinham ouvido falar. Ao regressarem a suas casas, quiseram ver se funcionava. Meteram-lhe tabaco e acenderam-no. Imediatamente a casa se encheu de um estranho fumo amarelo. E cada vez saía mais fumo.

Ver mais…


por escrever o titulo Os Cegos

Era uma vez uma cidade onde todos os habitantes eram cegos. Passou por ali um rei que trazia consigo um grande e imponente elefante. Foi um grande acontecimento, pois nunca naquelas paragens tinha estado um elefante. Três pessoas aproximaram-se com o desejo de conhecer esse animal. Como eram cegos, quiseram apalpá-lo. E uns tocaram num membro, outros noutro, ficando cada qual a conhecer apenas

Ver mais…


comer-bem A Preguiçosa

Era uma vez uma rapariga muito preguiçosa que foi pedida em casamento. O pai da rapariga disse ao pretendente que sua filha não lhe serviria por ser muito desleixada e preguiçosa. – Deixe-a comigo, respondeu o mancebo, sem desanimar. E ao fim de pouco tempo casaram e foram viver para outra aldeia. Logo no dia seguinte ao casamento o marido foi trabalhar para o

Ver mais…


porquinho O Porquinho Comilão

O porquinho da nossa história era muito comilão. A mãe costumava ralhar com ele, com razão, porque o porquinho andava sempre à procura de alguma coisa para encher a barriga, não se importando nada que o que comesse fosse dele ou não. Era frequente ouvir a mãe dizer: – Quem é que comeu o bolo que estava guardado na despensa? -Quem é que comeu

Ver mais…


IMG_4573 Um Passarinho no muro

No pátio das traseiras da casa em que o Dani vivia com os pais, reinava grande actividade. Os pedreiros estavam a construir uma garagem. A mãe tinha prevenido o filho para que não empatasse os trabalhadores “Posso só olhar?” perguntou o Dani. “Sim, isso podes, mas de longe. Ainda és pequeno e podes incomodar os homens no seu trabalho.” O Dani observava com grande

Ver mais…


628x471 Dois amigos diferentes

Certo dia, chegou um circo a uma cidade inglesa. Nas grandes jaulas, havia animais ferozes. Naquela tarde, o ar estava quente e abafado. Até os tigres se sentiam indolentes. De repente, um tigre — um tigre real da Índia — pôs-se de pé de um salto e rugiu de maneira que tudo se assustou e o chão estremeceu. Qual teria sido a causa da

Ver mais…


uma-flor-chamada-jasmim- Rainha da Primavera

Numa terra muito distante chamada Florislândia, havia todos os tipos de flores, de todas as idades e de todos os estilos. As mais velhas eram mais sábias e cuidavam das mais jovens, as mais novas costumavam ser mais vaidosas e viviam enfeitando suas pétalas. As flores mães cuidavam das tarefas do lar e dos filhos, os pais saíam para trabalhar nas plantações de novas

Ver mais…


peixinho vermelho O Peixinho Vermelho

No centro de formoso jardim, havia grande lago, adornado de ladrilhos azu-turquesa. Alimentado por diminuto canal de pedra, escoava suas águas, do outro lado, através de grade muito estreita. Nesse reduto acolhedor, vivia toda uma comunidade de peixes, a se refestelarem, nédios e satisfeitos, em complicadas locas, frescas e sombrias. Elegeram um dos concidadãos de barbatanas para os encargos de rei, e ali viviam,

Ver mais…


surpresa Uma Surpresa

Um dia, Ghandi, famoso indiano, viajava de comboio numa carruagem de terceira classe. Perto dele ia um rapaz com uma viola, que se ia entretendo a dedicar-lhe canções patrióticas indianas. De vez em quando, o jovem cuspia para o chão. Ghandi chamou-lhe delicadamente a atenção: — Não gosto que sujes o chão, pois o comboio é de todos nós. O jovem, porém, fez ouvidos

Ver mais…