Contos Infantis




Joquinha e a Coruja Felizberta

No jardim da casa do menino Joquinha viviam borboletas,passarinhos,grilos,formigas, todos muito felizes! Ah!! E também, a coruja Felizberta!! Estava muito velhinha e já não brincava, mas nunca deixou de cantar. Ela morava na linda macieira do jardim. Que sorte ele tinha por viver rodeado de alegrias. Da janela do seu quarto avistou um chapéu azul com grandes abas a voar, e pensou: “A Gegoca

Ver mais…


Apenas um Rapaz

Era uma vez um rapaz bravio que gostava de pregar partidas e fazer malandrices, só por embirração. Era muito antipático este rapaz. Mas emendou-se. Eu conto como foi. Um dia, por maldade, deu-lhe na cabeça atormentar uma pobre velhota, que vivia numa casinha pobre, à beira do povoado. Foi para uma pedreira que havia perto e pôs-se a atirar pedras e pedregulhos, que iam

Ver mais…


O Cavalo Encantado

Era uma vez, na Pérsia, um rei bom e justo, mas muito curioso! Um dia um nobre indiano apareceu-lhe numa festa com um cavalo de madeira. “Majestade”, disse-lhe, “esta é a invenção mais extraordinária de todos os tempos!” “O que é?”, perguntou o rei, curiosíssimo. “Um cavalo mágico capaz de o transportar para onde quiser num instante!” “E o que queres em troca?”, perguntou-lhe

Ver mais…


A gota de água

Quando a terra ainda não estava completa o hidrogénio sobrevoava sobre aquele caos, procurando alguma coisa. O Senhor perguntou-lhe: — Que procuras? Ele respondeu: — Senhor, tenho uma grande sede, mas não encontro sequer uma gota de água neste imenso deserto! O Senhor disse-lhe: — Podes encontrá-la, mas com uma condição: que tu desapareças completamente naquilo que encontrares. Continua a procurar… Passado pouco tempo,

Ver mais…


O Floco De Neve

Uma vez, um pássaro perguntou a uma pomba amiga quanto pesava um floco de neve. A pomba respondeu: — Nada. Não pesa mesmo nada. Por que me perguntas isso? O pássaro respondeu-lhe: — É que ando a pensar no que vi há pouco tempo. A pomba perguntou: — Que foi? Foi então que o pássaro contou o seguinte: — Estava eu pousado num ramo

Ver mais…


Aquela palavra

Eles eram irmãos. Foram sempre muito amigos desde os primeiros anos. Cresceram na mesma casa e andaram juntos na mesma escola. Quando um precisava de algo de especial, lá estava o outro para o escutar e lhe dar uma palavra de consolação. Chegaram à idade adulta e chegou o tempo de se separarem, cada qual para seu lado. Embora os anos fossem passando, a

Ver mais…


Os pregos

Era uma vez um jovem que tinha um mau carácter. O seu pai deu-lhe uma bolsa de pregos e disse-lhe que, todas as vezes que perdesse a paciência, deveria pregar um prego na porta. Depressa a porta se encheu de pregos. Porém, à medida que ia controlando o seu mau génio, pregava cada vez menos pregos na porta. Foi descobrindo que podia controlar as

Ver mais…


A Pedra

O Mestre de Sabedoria tinha a preocupação de ensinar todos os dias ao seu discípulo coisas novas. E preferia fazê-lo não com muitas palavras mas com experiências muito simples. Um dia, convidou o seu dedicado discípulo a um passeio até junto do rio. Quando chegaram, o Mestre disse: — Tira a túnica e entra dentro do rio. Depois, mete o braço na água e

Ver mais…


Os Bons Amigos

Era uma vez um adolescente que, embora fosse muito estudioso, era gozado pelos seus companheiros. Chamavam-lhe nomes e chegavam a agredi-lo. Andava muito triste e até chegou a pensar no suicídio. Um dia em que foi insultado e estava no chão, com os óculos para um lado e os livros para o outro, apareceu um outro rapaz que lhe deu o que ele nesse

Ver mais…


A promessa da Ilda

A Ilda ficou toda orgulhosa quando a mãe lhe disse que ela devia olhar pela irmãzinha, enquanto a mãe ia visitar a senhora Lehner. “Toma muito cuidado, eu volto depressa”, pediu a mãe. “Sim, mamã”, acenou a Ilda enquanto a mãe se punha a caminho da casa de campo. Em breve virou a esquina e a Ilda deixou de a ver. A Ilda esteve

Ver mais…