Jorinda e Joringel

Criado por Narrador
Jorinde_und_Joringel_by_Gold_Seven

Uma velha bruxa, de quem todos tinham muito medo, e que vivia num velho castelo situado no meio de um bosque muito denso. Podia transformar-se num gato ou numa coruja e recuperar o seu aspecto normal quando lhe apetecia. Ninguém conseguia aproximar-se do seu castelo sem ficar paralisado por um feitiço.
Numa pequena povoação perto do terrível castelo, vivia a rapariga mais bonita de toda a região. Chamava-se Jorinda, e o seu noivo, que também era um jovem muito bem parecido, Joringel. Os dois amavam-se profundamente. Um dia o casal foi passear pelo bosque e, de repente, sem saber porquê, Jorinda ficou cheia de medo. Quando quiserem regressar a casa viram que estavam perdidos.
Andavam sem rumo pela floresta quando Joringel avistou ao longe o que parecia ser uma casa. No entanto, ao aproximarem-se, viram que se tratava do velho castelo da bruxa. Nesse mesmo instante, apareceu à sua frente um gato muito feio e, em apenas um segundo, a rapariga transformou-se num rouxinol.
Depois, o felino adoptou a forma humana, mostrando ser uma bruxa, que agarrou em Jorinda para a levar consigo ao mesmo tempo que dizia a Joringel:
– Nunca mais vais voltar a vê-la! Estás a ouvir?
Mas não te preocupes: vais esquecê-la muito rapidamente!
– O que será de mim? – lamentava-se Joringel, enquanto via a bruxa afastar-se com a sua amada.
Então, as árvores do bosque e um estranho fantasma atacaram o jovem até que este perdeu os sentidos. Quando acordou, Joringel estava numa casa que não conhecia e onde viviam uma mulher e a sua filha. Elas explicaram-lhe que o tinham encontrado no bosque e que o tinham levado para sua casa para o tratar. O jovem decidiu ficar e recuperar-se, para assim poder libertar a sua amada.
– O que estará a fazer a minha adorada Jorinda? – suspirava, cada vez que pensava na sua noiva.
Um dia, Jorindel reparou que, tal como a bruxa lhe tinha dito, começava a esquecer a sua amada. Mas nessa mesma noite teve um sonho em que Jorinda lhe pedia para lhe levar uma flor encarnada para poder quebrar o feitiço. Quando Joringel acordou, foi para a floresta à procura da flor, mas as árvores e o estranho fantasma voltaram a persegui-lo até o fazerem tropeçar. Cansado e desanimado, Joringel começou a chorar; então, uma lágrima caiu na terra e brotou ali mesmo uma flor como a do sonho. Joringel colheu-a com muita delicadeza e foi correr para o castelo.
Joringel, protegido pelo poder da flor, conseguiu quebrar todos os feitiços do castelo que o tinham atingido anteriormente. Num abrir e fechar de olhos, o jovem chegou à casa onde a malvada bruxa tinha presos os seus sete mil pássaros.
Quando a mulher se apercebeu da sua presença tentou atacá-lo, mas ele protegeu-se com a flor e a velha rebolou pelo chão. Joringel aproveitou a oportunidade para ir à procura de Jorinda. Mas, como encontrar a sua amada entre tantos rouxinóis?
Enquanto Joringel procurava Jorinda entre todos aqueles pássaros, a bruxa, que já se tinha recomposto, tentou atacá-lo de novo. O rapaz, de um salto, cortou-lhe o caminho. Então, a velha levantou os braços para lhe lançar um feitiço, mas o jovem foi mais rápido do que ela e atirou-lhe a flor.
No mesmo instante, a velha feiticeira transformou-se numa repugnante ratazana. O gato da bruxa, quando a viu, pôs-se a persegui-la e começaram os dois a correr por toda a casa, gerando uma grande confusão. Por muito que tentasse, a bruxa não conseguia de maneira nenhuma recuperar o seu aspecto humano.
Joringel, por seu lado, já tinha conseguido encontrar Jorinda. Com muito cuidado, o rapaz acariciou o rouxinol com a flor, e este transformou-se, pouco a pouco, na sua bela noiva. De imediato, a jovem, chorando de alegria, lançou-se nos braços do seu amado, que também não conseguiu conter as lágrimas.
Passada a emoção do reencontro, Joringel aproximou-se das outras gaiolas e foi tocando com a flor em cada uma das sete mil que ali havia. O feitiço quebrou-se imediatamente e todos os pássaros libertados foram-se transformando nas bonitas damas que a bruxa tinha capturado durante aquele tempo todo.
Jorinda, Jorindel e as raparigas foram-se embora do castelo rapidamente, enquanto a bruxa, ainda com aspecto de ratazana, corria o mais rápido que podia para não ser devorada pelo gato.
Depois de se despedirem das damas, Jorinda e Jorindel regressaram a casa, e viveram juntos e felizes durante muitos, muitos anos.

Comentários

histórias de medo infantil,jorinda e joringel,Historia infantil sobre o tempo,história dos 7 cabritinhos,história infantil de medo,historias infantis sobre medo,história infantil sobre o medo,o lobo e os sete cabritinhos para imprimir,historias infantis sobre o tempo,histórias infantís ilustradas patinho feio