O condenado

Criado por Narrador
don_pedro_sacerdote_color_by_djmsan-d3g004q

Num campo de concentração da Alemanha nazi, fugiu um prisioneiro. A lei mandava que, por cada prisioneiro que fugisse, seriam mortos dez prisioneiros.

Estes foram levados para o pátio, a fim de serem contados dez à sorte. Todos tremiam de medo.

Entrou o oficial alemão que, com voz de trovão, foi designando os condenados:

– Tu… tu… tu…

Quando um homem ainda jovem foi designado, deu um grito e disse:

— Ai a minha mulher e os meus filhos!

Um sacerdote chamado Maximiliano Kolbe, encheu-se de compaixão e disse ao oficial alemão:

— Eu quero morrer no lugar deste homem.

— Quem és tu?

— Sou um sacerdote católico e não tenho mulher nem filhos.

O homem jovem foi salvo e o sacerdote lá foi com os outros nove para as celas da morte. Encerrados na escuridão de uma minúscula cela ale morrerem de fome.

Hoje este sacerdote polaco é venerado cm toda a Igreja Católica como S. Maximiliano Kolbe, porque deu a vida por amor.

Só seremos verdadeiramente amigos de uma pessoa, se estivermos dispostos a dar a vida por ela, se necessário. A amizade é mesmo muito exigente. Talvez por isso haja tão poucos amigos verdadeiros tomo este seguidor de Jesus Cristo.

Comentários