O escultor

Criado por Narrador
escultor

Um amigo do famoso escultor Miguel Ângelo aproximou-se dele na sua oficina e disse-lhe:

— Miguel, acho que não passas de um grande preguiçoso disfarçado de escultor.

Miguel Ângelo ficou surpreendido e exclamou:

— Não sei em que te baseias para me classificar de preguiçoso, pois eu trabalho dia e noite.

O amigo retorquiu:

— Estive aqui a semana passada e encontrei-te a esculpir essa estátua. Agora, uma semana depois, vejo-te ainda a trabalhar na mesma estátua, sem grandes alterações.

Deixando de lado os seus instrumentos, o escultor, pacientemente, explicou:

— Não é bem assim como dizes. Estive a trabalhar para tornar esse músculo mais saliente, dar aos lábios uma expressão mais natural e para aperfeiçoar o nariz.

O amigo importuno respondeu:

— Ora, mas tudo isso não passa de bagatelas. São pormenores quase imperceptíveis.

O famoso escultor disse:

— Talvez sejam bagatelas. Mas fica a saber que a soma das muitas bagatelas é que torna possível a perfeição.

Quem gosta de fazer bem todas as coisas não pode ser apressado. Terá de deixar o relógio de parte e gastar todo o tempo necessário para que a sua obra fique com a máxima perfeição. É um tempo bem gasto.

Comentários