Os Três Coelhinhos Espertos

coelhinho

Num país imaginário viviam 3 coelhinhos que eram irmãos e se chamavam Pim, Pam e Pum. Era um país de fantasia, com florestas muito densas, e lindos riachos a correr pelos campos cheios de flores. Certo dia o Pim disse aos irmãos:
-Não gostavam de dar um passeio pelo bosque? Era divertido!
A ideia foi logo aceite com entusiasmo por Pam e Pum, e lá foram os três coelhinhos à procura de surpresas. Chegaram a um vale muito tranquilo, cheio de bonitas flores nas quais os irmãozinhos se entretiveram a comer gostosíssimos trevos. Ah!, mas nem tudo era paz naquela floresta. Nela se erguia o castelo do gigante Brutamontes, que precisava de comer, todos os dias, três vacas e várias dúzias de cordeiros. Precisamente naquela manhã o gigante tinha saído, à procura de lenha e de alimentos, armado com a sua terrível espada e um grande saco às costas. E, de repente, parou admirado:
-Mas o que é que eu estou a ver ali? -disse o Brutamontes. -Três coelhos, com certeza são forasteiros, porque, se não, não se explica que andem por aqui tão à vontade! Lá muita carne não se pode dizer que tenham, mas servem-me de aperitivo. Então, meus rapazes!
Quando ouviram aquele vozeirão, os três coelhinhos sobressaltaram-se e, quando olharam e viram aquele gingantão, quase iam desmaiando. Quizeram fugir, mas o Brutamontes já lhes tinha cortado a retirada, rindo às gargalhadas:
-Ho, ho, ho! Corram mas é para dentro deste saco, que tenho a panela à vossa espera.
E, com grande habilidade, pegou neles e enfiou-os naquele saco enorme.
-Ele quer devorar-nos!, choramingava o Pim, apavorado.
-É um gigante enorme!, declarou o Pam.
-Com certeza, engole-nos num instante, ai que desgraça!
-Nao adiantamos nada a lamentar-nos, disse muito sensatamente o Pum. O que temos que fazer é tentar rasgar o saco. Se o conseguirmos…
Mas todos os esforços que fizeram não deram nenhum resultado. Entretanto, tinham chegado ao castelo do gigante, que começou logo a preparar o lume à frente dos três coelhinhos apavorados, que já o gigante pusera fora do saco para os meter na panela.
-Tive uma ideia! -disse subitamente o Pum.
Contou-a, baixinho, aos irmãos. Imediatamente os três coelhinhos se aproximaram do gigante Brutalhão e, numa distração deste, atiraram-lhe cinza aos olhos. Aquele bruto começou a rugir como uma fera, porque não conseguia ver nada.
-Malditos! Hei-de apanhá-los, hei-de apanhá-los, gritava.
Mas o Pim, o Pam e o Pum, enquanto ele ia berrando aquelas ameaças todas, corriam já, mais depressa que o vento, em direção à floresta e, quando conseguiram chegar à sua toca repetiam, uns aos outros, ainda tremendo de emoção, a história da sua salvação.
E nunca mais foram passear para aqueles lados!

Comentários

histórias de coelhos,historia de coelhos,historias de coelhinhos,histórias com coelhos,histórias sobre coelhos,histórias infantis sobre coelhos,historias infantis de coelhos,historinhas de coelhos,histórinhas de coelhinhos,fabula sobre quem tudo quer tudo perde