Warning: Missing argument 2 for wpdb::prepare(), called in /home/historia/public_html/wp-content/plugins/fast-wordpress-search/fwp-search.php on line 419 and defined in /home/historia/public_html/wp-includes/wp-db.php on line 1291

agradecimento pelo convite de madrinha de batismo

Você está a ver contos para meninos , contos e / ou outros itens relacionados com a sua pesquisa agradecimento pelo convite de madrinha de batismo. Encontre as melhores soluções de histórias para ler.



O Pinóquio

Numa aldeia italiana vivia Gepeto, o melhor relojoeiro do mundo. Um dia construiu um boneco quase perfeito…! -Serás o filho que não tive, e vou chamar-te Pinóquio. Nessa noite a Fada Madrinha visitou a oficina de Gepeto. Tocando Pinóquio com a varinha mágica disse: – Vou-te dar vida, boneco. Mas deves ser sempre bom e verdadeiro! No dia seguinte Gepeto apercebeu-se que os seus

Ver mais…


A Cinderela

A jovem Cinderela cresceu no campo, com o seu pai. Durante o dia montava a cavalo e à noite ouvia histórias fantásticas sobre magia e castelos. O seu pai gostava muito dela, mas sentia-se sozinho. Numa Primavera, casou-se com Lady Tremaine. Cinderela ficou contente com a vinda dela e das filhas, Drizela e Anastácia. Elas, no entanto, não gostavam nada de Cinderela, apesar dela

Ver mais…


O encontro

Um jovem desejava encontrar-se com Deus. Um dia, ouviu no seu íntimo um convite: — Vai ao entardecer ao alto da montanha e eu, Deus, aí estarei. Logo de manhã muito cedo, pôs-se a caminho pois o trajecto era longo. Ao passar por um vale. viu vários camponeses a apagar um fogo. Ao verem o jovem, suplicaram-lhe: — Vem ajudar-nos a apagar o incêndio.

Ver mais…


A Tartaruga

Um dia, uma tartaruga foi convidada por uma prima, que vivia fora da cidade, para que a fosse visitar. A tartaruga aceitou o convite e pôs-se a caminho. A distância não era muita, cerca de um quilómetro. Por isso, começou a viagem ao nascer do sol. Pensou: «Com o meu passo constante, antes do meio-dia chegarei a tempo de almoçar com a minha prima».

Ver mais…


A Oração De Natal

André era uma criança que tinha um grande desejo: que os pais lhe comprassem aquela bicicleta que viu numa loja da cidade. Os pais de André, porém, eram pobres e não tinham dinheiro para comprar a tão desejada bicicleta. Ele sabia disso e, por isso, decidiu pedir a bicicleta directamente ao Menino Jesus, por ocasião do Natal. Todas as noites rezava. Depois do Pai

Ver mais…


Os Cegos

Era uma vez uma cidade onde todos os habitantes eram cegos. Passou por ali um rei que trazia consigo um grande e imponente elefante. Foi um grande acontecimento, pois nunca naquelas paragens tinha estado um elefante. Três pessoas aproximaram-se com o desejo de conhecer esse animal. Como eram cegos, quiseram apalpá-lo. E uns tocaram num membro, outros noutro, ficando cada qual a conhecer apenas

Ver mais…


As Rosas

Os habitantes daquela terra não sabiam o que eram rosas. Um dia, apareceu lá um peregrino que lhes falou com tanto entusiasmo das rosas, que todos ficaram com imenso desejo de as conhecer. O peregrino regressou à sua terra e voltou trazendo rosas. Porém, como o caminho era longo, as rosas murcharam e o vento levou as suas pétalas. O peregrino regressou de novo

Ver mais…


O Banquete

Um dia, uma mulher vestida de trapos velhos percorreu a cidade pedindo esmola. Não teve sorte. Uns diziam-lhe palavras ofensivas, outros davam-lhe um pedaço de pão duro, outros atiravam-lhe pedras. Apenas um casal pobre que habitava num casebre a convidou a entrar, a sentar-se à mesa, servindo-lhe uma sopa quente e mais alguma coisa. A mendiga comeu, despediu-se com um sorriso e partiu. No

Ver mais…


A janela

Um homem desesperava do amor de Deus. Um dia, enquanto vagueava pelas colinas que rodeavam a cidade, encontrou um pastor. Este, vendo-o aflito, perguntou-lhe. — Por que é que andas assim tão perturbado, amigo? — Sinto-me imensamente só. — Também eu ando só, mas não estou triste. — Talvez porque Deus te faz companhia! — Adivinhaste. — Eu, pelo contrário, não tenho a companhia

Ver mais…


O Escurinho e o Lobo Bom

Havia um carneirinho, coitado, de quem ninguém gostava. Diziam que era muito feio e não sabia brincar. Num certo dia, todo o rebanho foi pastar para a serra e Simão, que era o filho mais novo do senhor Agostinho, pediu ao pai para também deixar ir o “Escurinho”. Lá mesmo no alto da serra, enquanto as ovelhas e os carneiros mais velhos se deliciavam

Ver mais…