Warning: Missing argument 2 for wpdb::prepare(), called in /home/historia/public_html/wp-content/plugins/fast-wordpress-search/fwp-search.php on line 419 and defined in /home/historia/public_html/wp-includes/wp-db.php on line 1154

comida que comeca com p e termina com a

Você está a ver contos , contos e / ou outros itens relacionados com a sua pesquisa comida que comeca com p e termina com a. Encontre as melhores soluções de histórias para ler.



la-liebre-y-la-tortuga A Lebre e a Tartaruga

“Apostemos, disse à lebre A tartaruga matreira, Que eu chego primeiro ao alvo Do que tu, que és tão ligeira!” Dado o sinal da partida, Estando as duas a par, A tartaruga começa Lentamente a caminhar. A lebre, tendo vergonha De correr diante dela, Tratando uma tal vitória De pêta ou de bagatela, Deita-se, e dorme o seu pouco; Ergue-se, e põe-se a observar

Ver mais…


la-cigarra A Cigarra e a Formiga

Num dia soalheiro de Verão, a Cigarra cantava feliz. Enquanto isso, uma Formiga passou por perto. Vinha afadigada, carregando penosamente um grão de milho que arrastava para o formigueiro. – Por que não ficas aqui a conversar um pouco comigo, em vez de te afadigares tanto? – Perguntou-lhe a Cigarra. – Preciso de arrecadar comida para o Inverno – respondeu-lhe a Formiga. – Aconselho-te

Ver mais…


gato e rato Como o gato e o rato tornaram-se inimigos

O gato era amigo de um rato peludo. … e partilhavam tudo: da comida ao abrigo. O que um pedia, o outro fazia de dia ou de noite, com a mesma empatia. Para exaltarem a amizade cada um pôs para si um apelido parecido: O gato chamou-se Gato e o rato chamou-se Rato. É só tirar o G e o R, que logo se

Ver mais…


RATINHO-DA-CIDADE-E-O-RATINHO-DO-CAMPO A Historia dos Primos Ratos

Era uma vez um rato que vivia no campo, onde era muito feliz. Tinha um primo rato que vivia na cidade, dentro dos esgotos. O rato do campo alimentava-se de frutas, raízes e sementes. O da cidade comia restos de comida que ia buscar aos caixotes do lixo. Um dia o rato da cidade foi ao campo visitar o primo, e ao despedir-se disse-lhe

Ver mais…


sal e agua O Sal e a Agua

Um rei tinha três filhas; perguntou a cada uma delas, por sua vez, qual era a mais sua amiga? A mais velha respondeu: – Quero mais a meu pai do que à luz do Sol. Respondeu a do meio: – Gosto mais do meu pai do que de mim mesmo. A mais moça respondeu: – Quero-te tanto como a comida quer o sal. O

Ver mais…


Amor-deus O Tropeço

Jorge, quando criança, precisou de fugir da guerra com os seus pais. Na fuga, sofreu um acidente que o deixou corcunda. Este defeito chamava a atenção, o que aumentava a sua timidez. Conseguiu estudar e chegar a ser um bom e jovem professor. Era respeitado mas não amado. Não conseguia fazer amigos e, por isso, vivia muito só. Um dia, ao sair nervosamente da

Ver mais…


Money purse - Wallet A Bolsa do Dinheiro

Numa noite de tempestade, um peregrino cansado de muitos quilómetros feitos a pé e sempre a ser fustigado pelo vento frio, estava imensamente cansado. O nevoeiro intenso só permitia ver uns palmos à frente do nariz. Olhava para todos os lados para ver se via alguma luz na noite. Sentiu enorme alegria ao avistar uma luz que vinha de uma casa. Encaminhou-se para lá

Ver mais…


panela A Panela de Ferro e a Panela de Barro

Panela de ferro propôs à de barro Que juntas fizessem pequena excursão; Mas esta escusou-se, julgando prudente Ficar no seu posto, juntinho ao fogão. “Um toque (diz ela) reduz a pedaços Meu todo argiloso, tão frágil e inerme; No entanto, a senhora não teme os embates, Pois é protegida de rija epiderme.” PANELA DE FERRO “Prometo-te amparo; irei afastando Os corpos que danos te

Ver mais…


raposa A Raposa e a Cegonha

Aconteceu um dia da comadre Raposa convidar a Cegonha para jantar. Com as manhas de matreira que é, preparou comida líquida, uma sopa e uma papa de sobremesa que escorreu em prato raso… A Cegonha fez de tudo para provar, picava o prato com o bico, mas nada! Voltou com fome pro ninho. Dali que resolveu bem resolvido pagar a Raposa com a mesma

Ver mais…


estudando-menino_ler O estudo

Um velho chinês, rico mas analfabeto, tinha às suas ordens um músico cego. Disse ao seu empregado: — Já tenho setenta e três anos e continuo analfabeto. Poderia começar a estudar mas já é demasiado tarde. O músico sugeriu-lhe: — Por que não acende uma vela? Sem perceber o que o empregado músico queria dizer, o velho chinês, aborrecido, respondeu: — Como é que

Ver mais…