curso de teatro gratis em salvador bahia

Você está a ver contos e histórias , contos e histórias e / ou outros itens relacionados com a sua pesquisa curso de teatro gratis em salvador bahia. Encontre as melhores soluções de histórias para ler. alemao fake loiro,aline barros atitude baixar kra,fake alemao loiro



fire-in-house-hi O Salvador

Era uma vez uma menina órfã que vivia com a avó num segundo andar. Uma noite, houve fogo e a avó morreu. Os vizinhos chamaram os bombeiros. Entretanto, viram a menina na janela do primeiro andar a gritar por socorro. De repente, apareceu um homem com uma escada. Subiu à janela, cercada de chamas, agarrou na menina, desceu com ela ao colo, entregou-a a

Ver mais…


medico A Receita

Os pais lamentavam-se por causa dos seus dois filhos. O mais velho tinha terminado o curso universitário, mas passava o dia em casa a queixar-se que não conseguia arranjar emprego. Não fazia nada em casa nem fora de casa. Vivia à custa dos pais, gastando muito nas festas com os amigos. O mais novo andava de muletas desde a operação que tinha feito há

Ver mais…


amigos Os Bons Amigos

Era uma vez um adolescente que, embora fosse muito estudioso, era gozado pelos seus companheiros. Chamavam-lhe nomes e chegavam a agredi-lo. Andava muito triste e até chegou a pensar no suicídio. Um dia em que foi insultado e estava no chão, com os óculos para um lado e os livros para o outro, apareceu um outro rapaz que lhe deu o que ele nesse

Ver mais…


sugar-cubes Um Pretinho chamado Açúcar

Um pretinho corria através da selva. O corpo dele estava cheio de arranhaduras. Um missionário que passava, não longe de casa, a fim de repousar um pouco do seu trabalho extenuante, avistou o pequeno fugitivo assustado. Ficou não pouco admirado ao ver o rapazito correr direito a ele, a gritar; “Homem branco! Homem branco! Salva-me!” O missionário estendeu os braços ao pequenito tremente e

Ver mais…


caperucita_roja_803485 O Capuchinho Vermelho

Era uma vez uma linda menina que vivia numa aldeia do bosque e de quem todos gostavam muito por ser muito boa e simpática. Um dia a mãe fez-lhe um capucho vermelho para ela levar para a escola. No trajecto e como era hábito, a menina cumprimentava os animaizinhos, pois conhecia-os e era amiga de todos. Ao vê-la tão bonita com o seu novo

Ver mais…


cerejeira da lua A Cerejeira da Lua

A Lua fita-nos quando a fitamos? Não. Nunca. Se a chamarmos deste canto da Terra, a Dama Toda Branca embuça-se de mistério e faz de conta que é a Bela Adormecida. Presunçosa. Como se toda a gente não soubesse que a Lua deixou de ser inacessível. Botas memoráveis pisaram-lhe a superfície desolada. Satélites zumbem à sua volta. Telescópios potentíssimos perscrutam-lhe todos os socalcos, rugas

Ver mais…


natal hipermercado Natal no Hipermercado

Muito gostava o Rodrigo de ir à caixa de correio. Quando o Natal se aproximava, estava sempre tão cheia que alguns papéis coloridos ficavam entalados na fresta estreita e comprida. O rapaz puxava-os, mesmo antes de dar a volta à chave, no entusiasmo de descobrir coisas maravilhosas, que apetecia mesmo comprar. Subia no elevador com meia dúzia de envelopes brancos, sem graça nenhuma, e

Ver mais…


images A Bilha de Leite

Há muitos anos, quando as pessoas simples iam vender os seus produtos às feiras e com o dinheiro comprar alguma coisa, lá ia uma jovem com uma bilha de leite à cabeça. Enquanto caminhava, fazia os seus cálculos: — Já sei o que irei fazer com o dinheiro que me derem por esta vasilha de leite. Com o dinheiro comprarei alguns ovos. Não serão

Ver mais…


palacio A Menina e o Bicho

Era uma vez um homem que tinha três filhas. Eram todas muito amigas dele, mas havia uma que ele estimava mais. Foi um dia à feira e perguntou às filhas o que é que elas queriam de lá. Uma delas disse: – Um chapéu e umas botas! A outra disse também: – Um vestido e um xaile! Mas a que ele estimava mais não

Ver mais…


quiterio Quitério Atrevido

O rapaz era esperto e atrevido. Quando, lá na aldeia, souberam que o rei vinha caçar àquela região, o rapaz decidiu: – Eu hei-de falar ao rei ou não me chame Quitério. E pôs-se a esperar pelo cortejo real, à beira da estrada. Mas o rei, que não era de pompas, apareceu a cavalo, sem escolta, vestido como qualquer um. Vendo o rapaz, que

Ver mais…