Warning: Missing argument 2 for wpdb::prepare(), called in /home/historia/public_html/wp-content/plugins/fast-wordpress-search/fwp-search.php on line 419 and defined in /home/historia/public_html/wp-includes/wp-db.php on line 1154

exemplo de genero textual fabula

Você está a ver contos , contos para meninos e / ou outros itens relacionados com a sua pesquisa exemplo de genero textual fabula. Encontre as melhores soluções de histórias para ler.



carangueja e filha A Carangueja e a Filha

Madre Carangueja, um dia, Dizia à filha sua: “Que andar, meu Deus, é esse? Por que não vais direito?” “- Ó mãe, vós como ides? Andarei eu diferente Que anda a nossa família? Querer que eu ande direita Quando andam todos tortos!…” Razão tinha. É geral o poderio Do doméstico exemplo.


O MOSQUITO E O PIRILAMPO O Mosquito e o Pirilampo

Um dia, um mosquito encontrou-se com um pirilampo. Começaram a discutir sobre qual deles era mais útil às pessoas. O mosquito apresentou os seus argumentos dizendo: — Julgo que não existe no mundo uma criatura tão útil ao homem como eu. Se ele não fosse por natureza um ingrato, devia estar-me muito agradecido. Eu, por exemplo, com as minhas picadelas, exercito-lhe a virtude da

Ver mais…


lebre A Lebre e a Perdiz

Dos miseráveis Nunca zombeis. Quem diz que sempre Feliz sereis? Mais de um exemplo Do sábio Esopo Conspira em prova Do nosso escopo. O que em meus versos Agora cito Foi noutros termos Por ele escrito. Tinham num campo Lebre e perdiz (Ao que parece) Vida feliz. Uns cães se achegam Do lar tranquilo; Vai longe a lebre Buscando asilo. Perde-lhe o rasto Toda

Ver mais…


nuvem-feliz_21200966 A nuvem

Era uma vez um menino sem família que se sentia muito só e triste. Muitas vezes olhava para o céu e punha-se a chorar. Uma nuvem que passou, ao ver a criança, teve pena e perguntou ao sol: — O que é que aconteceu a este menino? O sol respondeu: — Não sei. Também o vejo chorar muitas vezes mas não sei o motivo.

Ver mais…


predicando A Pregação

Um dia, ao sair do convento em Assis, S. Francisco encontrou Frei Junípero, um dos seus frades mais simples. Como gostava muito dele, disse-lhe: — Frei Junípero, vem comigo à cidade. Vamos pregar. Responde o pobre frade: — Meu pai, sabe que tenho muito pouca cultura e pouca imaginação. Como poderei falar às pessoas? S. Francisco insistia: — Vem comigo e não temas. Frei

Ver mais…


o cão fiel O Cão Fiel

Um cavaleiro regressava apressado a casa, ansioso por se encontrar com a sua família. Boby, o seu velho e fiel cão, corria atrás do cavalo, acompanhando o dono. De repente, começou a latir. Era um latido insistente, enervante, desesperado. O cavaleiro mandou que se calasse mas ele continuava. E resistia a continuar viagem. O dono interrogou-se: «Que lhe terá acontecido? Como já é velho,

Ver mais…


!!! O calor

Um dia, um conferencista, querendo explicar como é importante experimentar a realidade, contou um sonho que teve numa noite de Inverno. Disse: «Numa noite de Inverno, sonhei que Deus me levou a visitar três casas. Ao entrar na primeira, vi que todos os que ali se encontravam tremiam de frio, enquanto contemplavam um quadro na parede que representava uma fogueira. Na segunda casa, os

Ver mais…


sy01261_ A Bíblia

Era um homem simples, de sorriso sempre pronto para oferecer, disponível sem enfado para todos. Pelo seu exemplo de homem bom, muita gente vinha ter com ele a pedir conselhos. Falta dizer que era um homem sem grandes riquezas, para além do necessário para viver com dignidade. Sentia-se que era um homem feliz. O segredo da felicidade deste homem simpático e bom só foi

Ver mais…


familia feliz A Família Feliz

A maior folha verde que temos neste país é com certeza a folha da bardana. Uma menina podia usá-la como avental; se a pusesse na cabeça quando chovia, faria de guarda-chuva — é tão grande como isso. Nenhuma bardana cresce sozinha; não, onde há uma, há sempre muitas outras. São um lindo espetáculo — e todo esse esplendor costumava ser a comida dos caracóis.

Ver mais…


duende mercearia O Duende da Mercearia

Era uma vez um estudante, um autêntico estudante; vivia num sótão e não possuía nada. E era uma vez um merceeiro, um autêntico merceeiro; vivia no rés-do-chão e era dono do prédio inteiro. E foi por isso que o duende decidiu morar com o merceeiro. Além disso, todos os Natais recebia uma tigela de papa de aveia com um grande pedaço de manteiga lá

Ver mais…