Warning: Missing argument 2 for wpdb::prepare(), called in /home/historia/public_html/wp-content/plugins/fast-wordpress-search/fwp-search.php on line 419 and defined in /home/historia/public_html/wp-includes/wp-db.php on line 1154

exercicios com as partes do corpo humano em ingles

Você está a ver contos , contos para meninos e / ou outros itens relacionados com a sua pesquisa exercicios com as partes do corpo humano em ingles. Encontre as melhores soluções de histórias para ler.



A lamentação A Lamentação

Era uma vez um jovem que linha o costume de se lamentar. Dizia que Deus tinha dado aos seus vizinhos tantas riquezas e a ele nada tinha dado. A sua lamentação chegou a um sábio que lhe perguntou: — Tens mesmo a certeza de que és assim tão pobre como dizes? Será que Deus não te deu a força e a saúde? O jovem,

Ver mais…


Desenho dos Três Porquinhos para Colorir

Os Três Porquinhos é um conto de fadas cujos personagens são exclusivamente animais. As primeiras edições do conto datam do século XVIII, porém, imagina-se que a história seja muito mais antiga. O conto se tornou mais conhecido graças à versão em animação feita pela Disney em 1933. Foi o filme que introduziu nome para os porquinhos – Cícero, Heitor e Homero (Prático em português)

Ver mais…


Dora, a Aventureira / Exploradora

Dora the Explorer (br: Dora, a Aventureira / pt: Dora, a Exploradora) é uma série de televisão animada criada por Chris Gifford, Valerie Walsh e Eric Weiner e produzida pela Nickelodeon Animation Studios. O primeiro episódio da série foi ao ar em 1999 porém tornou-se uma série regular apartir de 2000. O show é exibido na rede de televisão no blocoNick Jr.. O desenho

Ver mais…


images (3) As Palavras

Um dia, as palavras aborreceram-se com as pessoas e decidiram fazer greve. Estavam fartas de ninguém as escutar. As pessoas falavam entre si, mas nunca escutavam os o que diziam os outros. E, como é sabido, uma palavra não escutada cai ao chão e parte-se. É costume ver pedaços de palavras por todas as partes: nas famílias, nos grupos de jovens, nos parlamentos, nas

Ver mais…


pântano O Pântano

Uma vez, um menino rico caiu num pântano, correndo o risco de morrer submerso. Aos seus gritos acudiu um pobre homem que trabalhava ali perto que o salvou. No dia seguinte, veio a sua casa o pai do menino, um homem rico, a fim de agradecer o seu gesto: — Obrigado. O senhor salvou a vida do meu filho. Aqui tem uma oferta. O

Ver mais…


Frases-de-Alegria O Mais Alegre

Uma vez, organizou-se um concurso para ver quem era a pessoa mais alegre da aldeia. Quando chegou o momento de se apresentarem diante do júri, o primeiro passou todo o tempo às gargalhadas. Quando o júri disse que tinha perdido, ficou muito triste. O segundo contou várias anedotas. Mas, quando o júri disse que também tinha perdido, ficou muito aborrecido. O terceiro manteve um

Ver mais…


pomba e formiga A Pomba e a Formiga

Enquanto a sede uma pomba Vê por um triste desastre Cair n’água uma formiga. Naquele vasto oceano A pobre luta, e braceja, E vir à margem da fonte Inutilmente deseja. A pomba, por ter dó dela, N’água uma ervinha lhe lança; Neste vasto promontório A triste salvar-se alcança. Na terra a põe uma aragem; E livre do precipício, Acha logo ocasião De pagar o

Ver mais…


lebre A Lebre e a Perdiz

Dos miseráveis Nunca zombeis. Quem diz que sempre Feliz sereis? Mais de um exemplo Do sábio Esopo Conspira em prova Do nosso escopo. O que em meus versos Agora cito Foi noutros termos Por ele escrito. Tinham num campo Lebre e perdiz (Ao que parece) Vida feliz. Uns cães se achegam Do lar tranquilo; Vai longe a lebre Buscando asilo. Perde-lhe o rasto Toda

Ver mais…


RAPOSA-E-O-BODE A Raposa e o Bode

O capitão raposo Ia caminhando ao lado Do seu amigo bode, D’alta armação dotado. Este não via um palmo Diante do nariz; Era formado aquele Nas burlas mais subtis. Ungidos pela sede, Lograram penetrar Num poço, cujas águas Sorveram a fartar. Disse o raposo ao bode: “O que fazer agora? Beber não foi difícil; E sim vir para fora. As tuas mãos e pontas

Ver mais…


o futuro O Futuro

Um idoso, já reformado, trabalhava com entusiasmo no bosque. Plantava macieiras, pereiras, laran jeiras e outras árvores de fruto. Fazia canais de rega e arrancava ervas. Passou por ali um intelectual, também já reformado, que andava triste por não ler nada para fazer. Parou e disse ao idoso: — Por que é que o senhor não aproveita os seus anos de reforma para descansar?

Ver mais…