Warning: Missing argument 2 for wpdb::prepare(), called in /home/historia/public_html/wp-content/plugins/fast-wordpress-search/fwp-search.php on line 419 and defined in /home/historia/public_html/wp-includes/wp-db.php on line 1291

frases de saudades do meu pai q morreu

Você está a ver contos para meninos , contos e histórias e / ou outros itens relacionados com a sua pesquisa frases de saudades do meu pai q morreu. Encontre as melhores soluções de histórias para ler.



A Bíblia

Era um homem simples, de sorriso sempre pronto para oferecer, disponível sem enfado para todos. Pelo seu exemplo de homem bom, muita gente vinha ter com ele a pedir conselhos. Falta dizer que era um homem sem grandes riquezas, para além do necessário para viver com dignidade. Sentia-se que era um homem feliz. O segredo da felicidade deste homem simpático e bom só foi

Ver mais…


O Pinguim

Um camionista andava sempre pelas estradas da Europa a transportar mercadorias. Passava dias e noites longe da mulher e dos filhos. Muitas vezes sentia saudades dos familiares queridos. Um dia, ao chegar a casa, viu na sua mesa de cabeceira um pinguim de pelúcia com um bilhete colado que dizia «Eu amo o meu pai». Ficou profundamente emocionado. Colocou-o na cabine do camião e,

Ver mais…


A Historia dos Primos Ratos

Era uma vez um rato que vivia no campo, onde era muito feliz. Tinha um primo rato que vivia na cidade, dentro dos esgotos. O rato do campo alimentava-se de frutas, raízes e sementes. O da cidade comia restos de comida que ia buscar aos caixotes do lixo. Um dia o rato da cidade foi ao campo visitar o primo, e ao despedir-se disse-lhe

Ver mais…


O Polipés

Era uma vez um Polipés que morava escondido no Atlântico. Tinha chegado à Terra por acaso, quando brincava no espaço com os seus amigos às escondidas por detrás dos asteróides. Um deles, de seu nome Sirion, que estava com mais pressa, arrastara-o para a Terra. Polipés não tinha tido outra escolha senão esconder-se numa gruta no fundo do oceano, pois desconhecia se poderia confiar

Ver mais…


O presente do Valter

“Se eu tivesse dinheiro”, lamentava-se o pequeno Valter, de sete anos, com um suspiro profundo. “Amanhã e o aniversario da minha mãe, e não tenho dinheiro para lhe comprar um presente. O que é que lhe hei-de dar? Talvez o meu urso de peluche! Ê o meu brinquedo preferido. Certamente que a mãe gostaria dele. Hei-de dar-lho? É o que vou fazer.” Assim pensou

Ver mais…


A Janela e a Montanha

A janela abria para a frente, para fora, para o ar lavado da montanha. Quem dormisse naquele quarto, ao saltar da cama, de manhã, abria a janela de dois batentes como se estivesse a respirar fundo. Enchia os pulmões de ar e os olhos de claridade. Era o primeiro exercício de ginástica. Podia ficar por aqui, de cotovelos sobre o parapeito, a apreciar a

Ver mais…


Didi dá que fazer

Quem me contou esta história foi o Rogério, um rapazinho meu amigo, que morava no 2º direito do prédio onde eu moro. Deixou de ser meu vizinho há coisa de um ano, pouco mais ou menos. O pai dele foi colocado em Estrasburgo, que fica em França, perto da Alemanha, e, como é bom de ver, a família mudou-se também. Quando se foi embora,

Ver mais…


O Descontentamento do Peixe Grande

Numa poça isolada do rio grande vivia uma colónia de peixinhos. Eram muito amigos uns dos outros e reinava a paz no local. Havia, no entanto, um peixe grande e orgulhoso que estragava um pouco essa harmonia. Resmungava quando os peixinhos se aproximavam dele e queria para si tudo o que havia de melhor. Um dia, um dos peixinhos, numa tentativa de se libertar

Ver mais…


A Mosca que Mora na Teia

Pra encurtar a história, nem vou contar como Maradona, a mosca, escapou do açucareiro, pois foi tampada lá dentro e não havia meio de alguém destampar. Não vou contar também como foi que Maradona aprendeu que através da vidraça mosca não passa. Pois bem… um dia Maradona caiu na teia. – Lá vem a aranha… ronc, ronc, ronc… preciso esconder-me… – Aonde, meu Deus?

Ver mais…


O Deserto

Uma vez, os guardas levaram um prisioneiro para o deserto e disseram-lhe: — Agora és livre. Podes caminhar para onde quiseres. O homem pôs-se a caminho pelas areias do deserto. Começou a sentir as primeiras dificuldades. Felizmente, encontrou um misterioso Sábio. O prisioneiro perguntou-lhe: — Quem és tu? O Sábio respondeu: — Eu fui enviado para aqui para ajudar os caminhantes, pois a travessia

Ver mais…