Warning: Missing argument 2 for wpdb::prepare(), called in /home/historia/public_html/wp-content/plugins/fast-wordpress-search/fwp-search.php on line 419 and defined in /home/historia/public_html/wp-includes/wp-db.php on line 1291

legendas para fotos com minha namorada

Você está a ver contos e fábulas para meninos , contos para meninos e / ou outros itens relacionados com a sua pesquisa legendas para fotos com minha namorada. Encontre as melhores soluções de histórias para ler.



De criança diferente a adulto consciente

Nasci e quando comecei a crescer, mamãe descobriu que havia algo diferente em mim. Os sons iam ficando cada vez mais distante e os médicos diziam que um dia eu não poderia mais ouvir o canto dos pássaros, o latido do cachorro, a música e nem mesmo a voz da mamãe. Fui crescendo como toda criança e um dia minha mãe me ensinou que

Ver mais…


A Mosca e a Formiga

Uma mosca importuna contendia Com a negra formiga, e lhe dizia: “Eu ando levantada lá nos ares, E tu por esse chão sempre a arrastares: Em palácios estou de grande altura, Tu debaixo da terra em cova escura: A minha mesa é rica e delicada; Tu róis grãos de trigo e de cevada; Eu levo boa vida, e tu, formiga, Andas sempre em trabalho

Ver mais…


A nossa torcida

Vamos lá pessoal Pro Brasil vamos torcer Vamos logo minha gente Não vão se arrepender Tenho certeza disso O Brasil vai vencer Com a nossa torcida O Brasil se alegrará Torcida organizada O Brasil ganhará Vamos assistir a cena O Brasil vencerá. Vamos fazer a torcida O Brasil é campeão Vamos todos torcer Essa é a tradição O Brasil será hexa Com a taça

Ver mais…


O punho fechado

Era uma vez um menino que, na escola, tinha sempre fechado o punho da mão esquerda. Quando era interrogado pela professora, levantava-se e respondia mantendo o punho fechado. Escrevia com a mão direita, mas mantinha a mão esquerda sempre fechada. Um dia, a professora, também para responder aos seus alunos, perguntou-lhe: — Diz-me por que é que tens o punho da mão esquerda sempre

Ver mais…


Vivo ou Morto

Numa cidade havia um homem que era considerado por toda a gente como um grande sábio. Muitas pessoas vinham de longe fazer-lhe perguntas. Uma criança quis pôr o sábio à prova, fazendo-lhe uma pergunta muito difícil. E planeou o seguinte. Iria apresentar-se ao sábio levando escondido na mão um passarinho. E perguntar-lhe-ia: «O que é que tenho escondido na minha mão?» Se ele disser

Ver mais…


O vendedor de sonhos

Era uma vez, numa terra colorida e feliz, um vendedor de sonhos que transportava o seu carrinho com sonhos lá dentro! Eu adorava a quinta-feira, era quando o vendedor de sonhos ia lá à minha rua para vender os seus sonhos. Quando acordava de manhã, ia logo lá para fora para ver se o via e a minha mãe dizia-me: _ Está muito frio,

Ver mais…


O Lince Ibérico e o Coelho

Num denso mato, uma imensa luz denunciava a presença de um vulto no fim da tarde. De rosto semelhante a um gato desfilava graciosamente um esbelto lince ibérico. Ao longe ressoavam as seis badaladas, agitando-se a voracidade eminente deste pequeno, grande gato vermelho, que agora se encontrava pronto a atacar a quem ousasse atravessar o seu caminho. Com as suas agulhas auditivas, aguardou de

Ver mais…


A Raposa e o Busto

Era um busto famoso, um todo teatral… Por entre a multidão, o burro, esse animal Que não sabe julgar senão as aparências, Gabava da escultura as raras excelências. A raposa, porém, um tanto mais sabida, Aproxima-se e diz: “Não vi, por minha vida, Cabeça tão perfeita!… É mágoa verdadeira A falta que lhe faz lá dentro a mioleira!” Aos centos, pelo mundo, os homens

Ver mais…


A Floresta Enfeitiçada

Era uma vez um Gnomo que vivia nas profundezas de uma Floresta encantada. A sua única companhia, para além das árvores e das flores que cobriam a sua casinha, era um Gato preto. Um dia, estava o Gnomo a cuidar das suas plantas, quando apareceu o Gato com um ar muito preocupado: – Gnomo, Gnomo, nem imaginas o que aconteceu! – Porque estás tão

Ver mais…


O doentinho que se tornou um bom amigo

Peter, o nosso fiel cão de guarda, dava uma quantidade de saltos entre a erva alta da estepe africana. De repente, estacou a farejar. Então, olhou para trás e ganiu baixinho. A minha filhita Suzi e eu, dávamos nesse dia um passeio de exploração. Pelo menos era esse o nome que a família lhe dava. O cão estava todo entusiasmado. A Suzi apressou-se a

Ver mais…