Warning: Missing argument 2 for wpdb::prepare(), called in /home/historia/public_html/wp-content/plugins/fast-wordpress-search/fwp-search.php on line 419 and defined in /home/historia/public_html/wp-includes/wp-db.php on line 1154

literatura de cordel poemas curtos

Você está a ver contos , contos e fábulas para meninos e / ou outros itens relacionados com a sua pesquisa literatura de cordel poemas curtos. Encontre as melhores soluções de histórias para ler.



69cb590431680950800907bbc4b6717c O Barqueiro

Era uma vez um barqueiro que se ocupava todos os dias a transportar pessoas de uma margem do rio para outra. O rio era largo e com algumas dificuldades. Correntes, remoinhos perigosas e rochas no fundo. Um dia, teve um cliente muito especial. Era um senhor de ares altivos de intelectual, desses que sabem tudo. Enquanto o barco deslizava suavemente, o sábio perguntou ao

Ver mais…


circo O Último

Nossa Senhora, com o Menino Jesus ao colo, decidiu descer à terra e visitar um grupo de crentes reunidos na sua paróquia. Orgulhosos, formaram uma grande fila para lhe prestar homenagem. Um jovem poeta declamou belos poemas, um adulto mostrou as suas lindas pinturas, um cantor pegou na guitarra e cantou uma bela melodia, um pianista tocou uma peça de música clássica. E assim,

Ver mais…


musica6 A Expêriencia

Era uma vez um homem que, tendo passado umas lerias em Viena de Áustria, aproveitou o tempo para escutar concertos musicais, ficando verdadeiramente encantado. Ao chegar à sua terra, decidiu formar uma orquestra musical, um pouco ao estilo das que tinha visto em Viena. Ele próprio decidiu ser o director de orquestra. Para se preparar, leu muitos livros e escutou muitas conferências. Encheu a

Ver mais…


bart_and_santa__s_little_helper_by_thefightingmongooses-d340web Como o Zibo mereceu o seu salário

“Oh, papá, posso ficar com ele? E tão carinhoso e está em tão boa idade para ser treinado”, suplicou o Armando, insistentemente, segurando bem o cão. “Isso acredito eu, que ele seja um bichinho amoroso, mas nós não podemos alimentar um segundo cão”, respondeu o senhor Estêvão, com bastante firmeza. “Mas, pai, é que nós não podemos expulsar agora o pobre animal e deixá-lo morrer

Ver mais…


duende mercearia O Duende da Mercearia

Era uma vez um estudante, um autêntico estudante; vivia num sótão e não possuía nada. E era uma vez um merceeiro, um autêntico merceeiro; vivia no rés-do-chão e era dono do prédio inteiro. E foi por isso que o duende decidiu morar com o merceeiro. Além disso, todos os Natais recebia uma tigela de papa de aveia com um grande pedaço de manteiga lá

Ver mais…