Warning: Missing argument 2 for wpdb::prepare(), called in /home/historia/public_html/wp-content/plugins/fast-wordpress-search/fwp-search.php on line 419 and defined in /home/historia/public_html/wp-includes/wp-db.php on line 1291

mensagem de aniversario de casamento de esposa para esposo

Você está a ver contos e histórias , contos e histórias e / ou outros itens relacionados com a sua pesquisa mensagem de aniversario de casamento de esposa para esposo. Encontre as melhores soluções de histórias para ler.



A vírgula

Era uma vez uma vírgula aborrecida com a pouca consideração em que toda a gente a tinha. Nem sequer as crianças das escolas lhe davam importância. Não gostava nada de ser apenas um pequeno sinal que se põe na escrita mas não se lê. Um dia, cansada desta falta de apreço, a vírgula decidiu revoltar-se. E fê-lo da seguinte maneira: O Presidente de uma

Ver mais…


O presente do Valter

“Se eu tivesse dinheiro”, lamentava-se o pequeno Valter, de sete anos, com um suspiro profundo. “Amanhã e o aniversario da minha mãe, e não tenho dinheiro para lhe comprar um presente. O que é que lhe hei-de dar? Talvez o meu urso de peluche! Ê o meu brinquedo preferido. Certamente que a mãe gostaria dele. Hei-de dar-lho? É o que vou fazer.” Assim pensou

Ver mais…


O Tesouro

Era uma vez um grupo de jovens que estava na praia. A um certo momento, viram que as ondas traziam uma garrafa, deixando-a na areia. Correram a abri-la. Dentro, um papel dobrado com a seguinte mensagem: «Para encontrar o grande tesouro dos Sogima». E estava também desenhado um mapa. Quem seriam esses Sogima? De todos os modos, decidiram seguir as indicações do mapa a

Ver mais…


O Botão

O marido, recém-casado, chega a casa ao fim do dia de trabalho e, suado, vai tomar banho. Ao pegar na camisa lavada para se vestir, reparou que lhe faltava um botão. Gritou para a jovem esposa: — Querida! Falta um botão na camisa. A esposa, lá de dentro da cozinha, respondeu com voz forte: — Veste outra! Ou cose tu o botão! Começou assim

Ver mais…


Os comentários

Numa tarde de domingo, viaja no comboio uma jovem de uns vinte anos, vestida com simplicidade, com aspecto de quem está cansada e cheia de sono. Aproveita para dormir. Ao lado, viajam umas senhoras elegantes que regressam de uma festa de aniversário. Uma delas não gosta de estar ao lado da jovem e diz em voz baixa para as outras: — Esta deve ser

Ver mais…


Como o Zibo mereceu o seu salário

“Oh, papá, posso ficar com ele? E tão carinhoso e está em tão boa idade para ser treinado”, suplicou o Armando, insistentemente, segurando bem o cão. “Isso acredito eu, que ele seja um bichinho amoroso, mas nós não podemos alimentar um segundo cão”, respondeu o senhor Estêvão, com bastante firmeza. “Mas, pai, é que nós não podemos expulsar agora o pobre animal e deixá-lo morrer

Ver mais…


O Barba Azul

Um homem muito rico e poderoso que vivia sozinho num grande palácio. Chamavam-lhe Barba Azul porque tinha uma longa e estranha barba azul-escura. Por causa disso, o seu aspecto era sombrio e todos tinham medo dele. Um dia, o Barba Azul foi visitar uma senhora que vivia próximo do seu palácio e pediu em casamento a sua filha mais nova, que era uma jovem

Ver mais…


Chapéu de Palha

Havia um chapéu de palha muito bonito, que era muito amigo do seu dono – o Teófilo. Num certo dia, lá por alturas da Primavera, Teófilo resolveu ir jogar à bola com os seus amigos, num terreno que havia lá no bairro, perto de sua casa. Teófilo vestiu o seu bonito equipamento de jogador de futebol, oferecido pela sua tia Elisa, no dia do

Ver mais…


O Ouro e os Sete Anões

Sete anões, chamados Sabichão, Rezingão, Sénior, Dunga, Chefe, Dengoso e Valente. A sua missão era proteger o ouro que se encontrava debaixo da terra da cobiça e ambição dos homens. Todos os dias iam trabalhar para a mina onde fabricavam bonitas jóias de ouro, com poderes mágicos, para que outros seres bondosos fizessem o bem. O Sabichão e o Sénior estavam a acabar um

Ver mais…


Alice no País das Maravilhas

Alice era uma menina com muita imaginação. Uma manhã em que estava a estudar no campo com a professora…adormeceu! Ela tinha o hábito de fechar os olhos…assim podia deixar vaguear a imaginação, liberta do controle dos mais velhos. E deixou-se levar…! Acordou ao som de uma vozita! E viu um coelho muito estranho a correr. – Espera-me, senhor Coelho! – Gritou muito animada. E

Ver mais…