Warning: Missing argument 2 for wpdb::prepare(), called in /home/historia/public_html/wp-content/plugins/fast-wordpress-search/fwp-search.php on line 419 and defined in /home/historia/public_html/wp-includes/wp-db.php on line 1291

mensagem de feliz aniversario para afilhado distante

Você está a ver contos e fábulas para meninos , contos para meninos e / ou outros itens relacionados com a sua pesquisa mensagem de feliz aniversario para afilhado distante. Encontre as melhores soluções de histórias para ler.



A vírgula

Era uma vez uma vírgula aborrecida com a pouca consideração em que toda a gente a tinha. Nem sequer as crianças das escolas lhe davam importância. Não gostava nada de ser apenas um pequeno sinal que se põe na escrita mas não se lê. Um dia, cansada desta falta de apreço, a vírgula decidiu revoltar-se. E fê-lo da seguinte maneira: O Presidente de uma

Ver mais…


Chapéu de Palha

Havia um chapéu de palha muito bonito, que era muito amigo do seu dono – o Teófilo. Num certo dia, lá por alturas da Primavera, Teófilo resolveu ir jogar à bola com os seus amigos, num terreno que havia lá no bairro, perto de sua casa. Teófilo vestiu o seu bonito equipamento de jogador de futebol, oferecido pela sua tia Elisa, no dia do

Ver mais…


O presente do Valter

“Se eu tivesse dinheiro”, lamentava-se o pequeno Valter, de sete anos, com um suspiro profundo. “Amanhã e o aniversario da minha mãe, e não tenho dinheiro para lhe comprar um presente. O que é que lhe hei-de dar? Talvez o meu urso de peluche! Ê o meu brinquedo preferido. Certamente que a mãe gostaria dele. Hei-de dar-lho? É o que vou fazer.” Assim pensou

Ver mais…


O segredo

Helena era uma menina que gostava de passear pelos campos junto de sua casa. Um dia, viu uma borboleta presa num silvado. Com muito cuidado, para não lhe partir as asas, libertou-a. A borboleta, depois de voar um pouco, transformou-se numa linda fada. Helena ficou admirada e esta disse-lhe: — Eu era a borboleta e agora transformei-me em fada. Para agradecer a tua bondade,

Ver mais…


O Tesouro

Era uma vez um grupo de jovens que estava na praia. A um certo momento, viram que as ondas traziam uma garrafa, deixando-a na areia. Correram a abri-la. Dentro, um papel dobrado com a seguinte mensagem: «Para encontrar o grande tesouro dos Sogima». E estava também desenhado um mapa. Quem seriam esses Sogima? De todos os modos, decidiram seguir as indicações do mapa a

Ver mais…


Como o Zibo mereceu o seu salário

“Oh, papá, posso ficar com ele? E tão carinhoso e está em tão boa idade para ser treinado”, suplicou o Armando, insistentemente, segurando bem o cão. “Isso acredito eu, que ele seja um bichinho amoroso, mas nós não podemos alimentar um segundo cão”, respondeu o senhor Estêvão, com bastante firmeza. “Mas, pai, é que nós não podemos expulsar agora o pobre animal e deixá-lo morrer

Ver mais…


Os comentários

Numa tarde de domingo, viaja no comboio uma jovem de uns vinte anos, vestida com simplicidade, com aspecto de quem está cansada e cheia de sono. Aproveita para dormir. Ao lado, viajam umas senhoras elegantes que regressam de uma festa de aniversário. Uma delas não gosta de estar ao lado da jovem e diz em voz baixa para as outras: — Esta deve ser

Ver mais…


A Lepra

Carlos há algum tempo que via o aparecimento de estranhas manchas na pele. Decidiu então consultar o seu médico, que o mandou fazer análises. Levou-as ao médico, ansioso por saber os resultados. Apesar da sua ansiedade, pediu ao médico que lhe dissesse toda a verdade. O doutor explicou-lhe: — O senhor tem aquilo que já suspeitava. Está leproso. O homem segura as mãos do

Ver mais…


A Lebre e a Perdiz

Dos miseráveis Nunca zombeis. Quem diz que sempre Feliz sereis? Mais de um exemplo Do sábio Esopo Conspira em prova Do nosso escopo. O que em meus versos Agora cito Foi noutros termos Por ele escrito. Tinham num campo Lebre e perdiz (Ao que parece) Vida feliz. Uns cães se achegam Do lar tranquilo; Vai longe a lebre Buscando asilo. Perde-lhe o rasto Toda

Ver mais…


A Raposa e o Galo

Era uma vez uma raposa muito esperta. Um dia, passeando, viu uma capoeira cheia de galinhas. Entrou lá dentro e comeu uma. Póh, poh poh poh, phóo… No dia seguinte a raposa construiu junto à capoeira uma casa. E dentro da casa escavou um túnel que ia dar à capoeira. E todas as noites comia uma galinha. Póh, poh poh poh, phóoo… Um belo

Ver mais…