Warning: Missing argument 2 for wpdb::prepare(), called in /home/historia/public_html/wp-content/plugins/fast-wordpress-search/fwp-search.php on line 419 and defined in /home/historia/public_html/wp-includes/wp-db.php on line 1154

poesia sobre o dia do soldado

Você está a ver contos para meninos , contos para meninos e / ou outros itens relacionados com a sua pesquisa poesia sobre o dia do soldado. Encontre as melhores soluções de histórias para ler.



soldado_joao (8) O Soldado João

Era uma vez um soldado chamado João. Vinha de sachar milho, de regar cravos, de semear couves e manjericos. Agora, toca a marchar, de espingarda ao ombro, mochila às costas, botas de cano, farda a rigor. Pelos campos fora, o soldado João era a vergonha dos batalhões. Trazia uma flor ao peito, punha as mãos nas algibeiras, coçava o nariz, não acertava o passo.

Ver mais…


ICCE_Illinois_School_Bus A Sónia e o autocarro da escola

Era o primeiro ano em que a Sónia ia à escola. O quarteirão onde ela vivia com os pais, tinha sido acrescentado com muitos blocos novos, nos últimos anos. Por isso passou a haver tantas crianças, que a cidade não conseguia construir escolas suficientes. Muitos alunos tinham de ir às escolas de outros bairros. A rua era larga e perigosa, com muitos carros a

Ver mais…


princesas.. A princesa Dos Sapatos Vermelhos

Um rei que tinha três filhas, todas elas muito bonitas. Dormiam juntas no mesmo quarto e com as camas umas ao lado das outras. O rei, que era muito desconfiado, fechava sempre a porta à chave, quando se iam deitar. Mas uma manhã, quando voltou a abri-la, descobriu com espanto que as solas dos sapatos da sua filha mais velha estavam gastas. Passado algum

Ver mais…


menino soldado Menino-soldado

Nos belos olhos azuis do menino do Congo, a esperança naufragada procurava, ansiosamente, uma praia. Ele ainda não sabia que uma insaciável sede de lucro e de poder não parava de moer e de reduzir a pó o seu direito de viver e de ser feliz. O ouro e os diamantes, que feriam as mãos dos seus pais, nas minas, transformaram-se em armas para

Ver mais…


761833799_302578 Nina e o laço

Um cadarço, duas pontas me embaraço, num enrosco meio frouxo, meio torto e num abraço… fez-se o laço! * sobre:aprendendo a amarrar o calçado.


RAPOSA-E-O-BODE A Raposa e o Bode

O capitão raposo Ia caminhando ao lado Do seu amigo bode, D’alta armação dotado. Este não via um palmo Diante do nariz; Era formado aquele Nas burlas mais subtis. Ungidos pela sede, Lograram penetrar Num poço, cujas águas Sorveram a fartar. Disse o raposo ao bode: “O que fazer agora? Beber não foi difícil; E sim vir para fora. As tuas mãos e pontas

Ver mais…


images Os pés sensíveis

No tempo em que todos andavam descalços, havia um chefe que tinha os pés sensíveis. Sofria muito quando tinha de caminhar sobre as pedras ou sobre o solo rochoso. Depois de ter pensado muito, tomou uma solene decisão. Chamou os seus guerreiros e disse-lhes: – Ide e parti para a caça. Deveis caçar todos os bisontes do país. Depois de os matarem, irei cobrir

Ver mais…


70903_snezhinka_sneg_goluboe_beloe_1600x1200_(www.GdeFon.ru) O Floco De Neve

Uma vez, um pássaro perguntou a uma pomba amiga quanto pesava um floco de neve. A pomba respondeu: — Nada. Não pesa mesmo nada. Por que me perguntas isso? O pássaro respondeu-lhe: — É que ando a pensar no que vi há pouco tempo. A pomba perguntou: — Que foi? Foi então que o pássaro contou o seguinte: — Estava eu pousado num ramo

Ver mais…


duende mercearia O Duende da Mercearia

Era uma vez um estudante, um autêntico estudante; vivia num sótão e não possuía nada. E era uma vez um merceeiro, um autêntico merceeiro; vivia no rés-do-chão e era dono do prédio inteiro. E foi por isso que o duende decidiu morar com o merceeiro. Além disso, todos os Natais recebia uma tigela de papa de aveia com um grande pedaço de manteiga lá

Ver mais…


Arco-íris_de_luz_EG Sobre o arco-íris

Era uma vez uma menina chamada Luz. Era branquinha e especial como realmente luz, era sensível e amada como claramente um anjo. Luz era sempre acompanhada de sua cachorrinha: Marie. E viviam as duas sempre brincando no campo , correndo de um lado para o outro no pôr do Sol , sem rumo ! A vida era vista como um mar de rosas para

Ver mais…