Warning: Missing argument 2 for wpdb::prepare(), called in /home/historia/public_html/wp-content/plugins/fast-wordpress-search/fwp-search.php on line 419 and defined in /home/historia/public_html/wp-includes/wp-db.php on line 1154

videos de ataques de animais selvagens a pessoas

Você está a ver contos e fábulas para meninos , contos e / ou outros itens relacionados com a sua pesquisa videos de ataques de animais selvagens a pessoas. Encontre as melhores soluções de histórias para ler.



O Lobo


floresta africana A Floresta Africana

Há muitos e muitos anos atrás, numa selva chamada Floresta Africana, animais brancos e negros não conviviam em harmonia. Na verdade eles enfrentavam uma fase de muita turbulência, afinal, tudo era separado; os animais brancos só podiam circular pelos lugares indicados para animais brancos e os animais de pelo negro só podiam circular pelos ambientes preparados para eles. Desta forma, eles nunca se encontraram

Ver mais…


O ALFORGE O Alforge

Este episódio aconteceu, evidentemente, no tempo em que os animais falavam. O macaco, todo vaidoso, disse: — Tenho quatro patas que são uma maravilha. Saltito de um lado para o outro. Não sou como o urso, um animal feio. O urso, orgulhoso, respondeu: — Eu vejo-me forte e bem proporcionado. Não sou como o elefante, aqui ao meu lado, que é um verdadeiro monstro.

Ver mais…


images (3) As Palavras

Um dia, as palavras aborreceram-se com as pessoas e decidiram fazer greve. Estavam fartas de ninguém as escutar. As pessoas falavam entre si, mas nunca escutavam os o que diziam os outros. E, como é sabido, uma palavra não escutada cai ao chão e parte-se. É costume ver pedaços de palavras por todas as partes: nas famílias, nos grupos de jovens, nos parlamentos, nas

Ver mais…


aranha-na-teia-circular_91-6589 A teia de aranha

Uma vez, uma psicóloga quis fazer uma experiência. Na sala de visitas de sua casa, colocou uma grande teia de aranha. Qualquer pessoa que entrasse, inevitavelmente tinha que a ver. Ela observaria, discretamente, o que diziam. Entraram durante a semana pessoas desconhecidas. A psicóloga foi escutando. Eis algumas das expressões que ouviu dessas pessoas: — Esta mulher deve ser muito distraída. Não vê como

Ver mais…


cd02a1caa0ad6bf3ea37b4f8e2cb42c5 O cachorrinho

Um menino passou diante de uma loja que vendia animais e disse que desejava comprar um cachorrinho. O dono da loja apresentou-lhe alguns e ele, depois de perguntar preços, escolheu um que coxeava. O dono explicou que ele tinha um defeito numa coxa, mas o menino disse: — E este mesmo que eu quero comprar. O dono comentou: — Nesse caso, não precisas de

Ver mais…


0567525df4578128433bf07f287ebabe O Balão

Um dia, Deus enviou para a terra um grande balão onde cabiam muitas pessoas. E disse: — Todos os que me quiserem ver, entrem no balão que ele subirá até mim. Em breve, o balão se encheu completamente. Mas, por mais tentativas que se fizessem, o balão não se elevava aos céus. Saíram várias pessoas para ficar mais leve, mas nem mesmo assim subia.

Ver mais…


castelos de areia Castelos de Areia

Junto a uma serra há uma praia pequenina, de areia macia, onde as crianças gostam de brincar. É ali que se encontram muitas vezes a Rita, o Miguel e o André, três primos, cuja melhor brincadeira é construir castelos, ali à beira do mar. Mas são sempre uns senhores castelos! Altos, com torres e torreões, com portas e portões! E é ver quem faz

Ver mais…


free-vector-primavera-spring_100874_Primavera_Spring A Primavera

A professora, no mês de Maio, pediu às crianças que, na hora do recreio, saíssem à rua e trouxessem qualquer coisa de belo, de lindo. Quando regressaram, foram mostrando várias coisas e explicando-as. A primeira disse: — Eu colhi esta flor, porque para mim é muito linda. A segunda, com um brilho nos olhos, disse: — Eu apanhei esta borboleta. Veja como são coloridas

Ver mais…


4b7bbb69722937495869a08f9cb299ab A Madeira

Uma vez, um lenhador pegou no machado e foi ao bosque com a intenção de cortar uma árvore. Aproximou-se de uma grande e esbelta árvore e abateu-a cruelmente. Depois de ter caído ao chão, cortou-lhes os ramos. Depois levou-a para casa. Ao chegar, perguntou-lhe: — O que gostarias que eu fizesse de ti? A árvore, a chorar a sua desdita, respondeu: — Já que

Ver mais…