Adriana da Silva Felisbino




Numa terra muito distante chamada Florislândia, havia todos os tipos de flores, de todas as idades e de todos os estilos. As mais velhas eram mais sábias e cuidavam das mais jovens, as mais novas costumavam ser mais vaidosas e viviam enfeitando suas pétalas. As flores mães cuidavam das tarefas do lar e dos filhos, os pais saíam para trabalhar nas plantações de novas flores, os bebês brotinhos brincavam com suas folhas e tentavam tocar seus caules, as flores avós tinham suas pétalas enrugadas e seus caules tremiam sem parar, elas se apoiavam em pequenos gravetos para andar e não dispensavam seus óculos.

Uma vez por ano a cidade se enfeitava para o Baile da Primavera. Este baile escolheria a flor mais bela da cidade e a vencedora receberia o título de Miss Rainha da Primavera, ganharia uma viagem ao Jardim do Éden e ganharia muitos presentes dos patrocinadores da festa. Todas as flores jovens e bonitas se inscreviam para o desfile, preparavam suas roupas e arrumavam suas pétalas e folhas para o grande evento.

O dia do baile havia chegado. Jasmim e Violeta eram muito amigas, elas combinaram que seriam rainhas a qualquer custo, não importasse o que fariam para conseguir isto. Rosa era uma linda flor que, além de graciosa, era muito humilde e simpática. Todos a admiravam, mas Jasmim e Violeta tinham muita inveja de sua beleza e sabiam que ela tinha grande potencial para ser a vencedora do concurso.

Enquanto todas se arrumavam no camarim, Jasmim e Violeta pegaram os sapatos da Rosa sem que ninguém percebesse e colocaram espinhos para furar os pés da rival, depois foram para a passarela e desfilaram sem que ninguém soubesse o que elas haviam feito. O apresentador do desfile chamava todas as candidatas com bastante entusiasmo, mas estava ficando preocupado porque começava a chover forte, ele temia que algo acontecesse com o salão do baile.

Desta vez, foi a hora da Rosa entrar na passarela, o apresentador a chamava, mas ela não aparecia, ele insistia em chamá-la mas, nada dela ir para a passarela. Quando seu ajudante resolveu procura-la no camarim, viu que a pobre flor estava com os pés sangrando e chorava sem parar. Ela não sabia explicar como aqueles espinhos haviam ido parar dentro de seus sapatos, agora ela não poderia mais desfilar, pois estava sentindo muita dor e seus pés estavam bastante machucados.

No momento em que o apresentador resolveu chamar outra flor para desfilar, uma gigantesca tromba d’água caiu sob o salão e o palco veio a baixo. As flores que assistiam ao desfile saíram desesperadas, as crianças choravam de medo, os organizadores do evento tentavam acalmar o público, mas todos estavam bastante eufóricos e assustados. Em meio a tanta confusão, Violeta ficou presa debaixo das ferragens das arquibancadas, ela gritava por socorro, mas ninguém a ouvia. A chuva caía com muita força e as flores corriam de um lado para outro sem ninguém perceber que ela estava presa. Sua amiga Jasmim havia saído do salão e nem se lembrou de procurar por ela. Depois de tanto gritar e tentar chamar por socorro, Violeta já se encontrava sem forças, e quando pensou que morreria, sua rival das passarelas Rosa, percebeu o que estava acontecendo. Rosa jogou-se no chão e puxou Violeta com toda sua força para tentar salvá-la, não fossem seus pés tão feridos ela teria conseguido mais rápido. Mas a bela flor não desistiu de tentar salvar sua colega e puxou e puxou, até que, ufa! Ela conseguiu retirar Violeta do buraco em que ela se encontrava. Juntas, Violeta e Rosa saíram do salão e foram para a rua, uma apoiada ao ombro da outra, pois, ambas estavam muito feridas.

Duas horas depois, a chuva havia cessado. A noite caiu fria e serena sob a cidade de Florislândia. Todos estavam sujos e de olhos arregalados comentando o desastre. Jasmim chegou perto de Violeta e perguntou onde ela estava, a amiga contou que ficou presa e disse que a Rosa a ajudou a sair de lá, as amigas ficaram muito envergonhadas com o que haviam feito a Rosa. Chorando, elas pediram perdão à nova amiga e resolveram que contariam toda a verdade ao apresentador do desfile. E para aprenderem a nunca mais sabotarem um evento, as duas ficariam o próximo ano sem participar do Baile da Primavera. Aquele ano não tivera uma vencedora, mas a união das três flores compensou tudo o que havia acontecido. Jasmim e Violeta aprenderam que não se deve fazer o mal a ninguém, mesmo que se queira vencer, e que um dia você poderá precisar daquele a quem tentou prejudicar, pois foi exatamente assim que aconteceu naquele ano. Embora nenhuma delas tenha levado a faixa de Miss Rainha da Primavera, a lição de amor que levaram superou qualquer premiação.

No ano seguinte, Jasmim e Violeta foram até a casa da Rosa para ajudá-la a se enfeitar para o baile, pois elas torciam para que a amiga fosse a grande vencedora. Naquele ano, tudo estava dando certo e Rosa foi a grande vencedora do baile conforme merecia. Agora, Jasmim e Violeta não tinham mais inveja da Rosa, mas grande admiração e respeito por aquela que, um dia, havia ensinado a lei de amor ao próximo, independente de quem seja esse próximo. A amizade entre elas cresceu cada vez mais e todas se ajudavam quando uma tinha que desfilar. Elas se tornaram modelos internacionais e chegaram a morar juntas para trabalhar. Todas conquistaram o sucesso sem jamais prejudicar alguém, e desta forma viveram felizes para sempre.

uma flor chamada jasmim  - Rainha da Primavera Rainha da Primavera

Numa terra muito distante chamada Florislândia, havia todos os tipos de flores, de todas as idades e de todos os estilos. As mais velhas eram mais sábias e cuidavam das mais jovens, as mais novas costumavam ser mais vaidosas e viviam enfeitando suas pétalas. As flores mães cuidavam das tarefas do lar e dos filhos, os pais saíam para trabalhar nas plantações de novas

Ver mais…


animais4 - Pedro e os Animais Pedro e os Animais

Era uma vez quatro irmãos que viviam numa fazenda com seus pais. Pedro era o filho mais velho de 12 anos, Antônio tinha 10 anos, João tinha 8 e Francisca era a caçula de 6 anos. Eles adoravam brincar de correr atrás dos animais quando não estavam na escola. Antônio e João, às vezes costumavam pisar no rabo dos gatos da fazenda ou até

Ver mais…


floresta africana - A Floresta Africana A Floresta Africana

Há muitos e muitos anos atrás, numa selva chamada Floresta Africana, animais brancos e negros não conviviam em harmonia. Na verdade eles enfrentavam uma fase de muita turbulência, afinal, tudo era separado; os animais brancos só podiam circular pelos lugares indicados para animais brancos e os animais de pelo negro só podiam circular pelos ambientes preparados para eles. Desta forma, eles nunca se encontraram

Ver mais…


imagens imagens planeta terra 36b72a - As Esferinhas As Esferinhas

Era uma vez, oito esferinhas alinhadas no espaço. Cada uma tinha um tamanho e uma cor diferente. Algumas eram quentes, outras geladas, algumas eram enormes e outras bem pequenas. Cada esferinha tinha um nome e, embora todas fossem redondinhas, não se pareciam umas com as outras. Elas nunca paravam no espaço, estavam sempre em movimento. Elas eram encobertas por um lençol branco, que mais

Ver mais…


flora - A Revolta da Flora A Revolta da Flora

No tempo em que as plantas falavam, as frutas andavam e as hortaliças tinham opinião própria, os problemas começavam a surgir com as plantas. A flora toda estava revoltada com tanta cobrança. Não entendeu? As hortaliças sofriam muito para serem cultivadas. O agrião tem o ciclo de 50 dias nas regiões quentes e 70 dias na época fria, suas sementes tinham que ficar encharcadas,

Ver mais…


fadinha curiosa - A Fadinha Curiosa A Fadinha Curiosa

Era uma vez, uma linda fada chamada Clarisse. Ela vivia na Fairyland, terra de muitos encantos e fantasia. As flores tinham vida própria e conversavam com as fadas, as nuvens eram de algodão doce para que as fadinhas pudessem se deliciar, os animais cantavam lindas músicas para alegrar os moradores e as árvores ajudavam a vigiar as crianças para que nada de mau lhes

Ver mais…


ritinha - As aventuras de Ritinha As aventuras de Ritinha

Era uma vez, uma menina muito criativa chamada Ritinha. Sua criatividade era tão grande que, por algumas vezes, ela se metia em encrencas. Todas as férias escolares e feriados prolongados, Ritinha e seus quatro irmãos iam para a fazenda de sua bisavó, Maria. Como toda fazenda, não lhes faltava lugares interessantes para brincar e deixar a imaginação voar solta! A turminha era sempre a

Ver mais…


download - O Pinheirinho Torto O Pinheirinho Torto

Era uma vez, um lindo vilarejo em que morava uma família que trabalhava o ano todo se preparando para o Natal. Manoel era o pai que plantava mudas de pinheiro no início do ano e cuidava delas todos os dias durante todos os meses para que pudessem se tornar fortes pinheiros que deveriam ser belas árvores de Natal. Seu filho Paulo o ajudava com

Ver mais…