Contos Populares




Havia uma viúva que tinha um filho muito aparvalhado. Um dia diz-lhe a mãe:
– Vai à cidade, leva esta barranha de mel, vende-a e traz-me o dinheiro.
O rapaz agarrou na barranha de mel e dirigiu-se à cidade. Pelo caminho viu-se perseguido por muitas coisas e falando nervosamente, para elas, dizia-lhes:
– Se as senhoras querem comprar mel fazemos negócio, mas não me piquem, por favor.
As moscas não responderam, e insistiram em não o largar. Então ele despejou o mel sobre uma pedra e disse:
– Se querem o mel, aí o têm, mas despachem-se e dêem-me o dinheiro. Então ele zangou-se e disse-lhes que ia queixar-se à justiça. E assim fez. Voltou para casa para vestir o seu fato e apresentou-se no Tribunal a fazer queixa:
– Vendi o mel a umas senhoras e não me deram o dinheiro.
– Mas conheces essas senhoras? – perguntou o juiz.
– Conheço-as de vista.
– E quem são essas senhoras? – indagou, de novo, o juiz.
– São as senhoras de mantinha de seda, não sei dizer o nome delas, mas conheço-as logo que as veja.
O Juiz, julgando que ele estava a brincar, disse-lhe:
– Quando as encontrares atira-lhes uma boa paulada.
Sucede, porém, que nesses momento pousou na testa do Juiz uma mosca.
Então o labrego «ferrou» imediatamente na testa do Juiz uma paulada, dizendo:
– Da primeira já estou vingado.

mel - As Senhoras de Mantinha de Seda As Senhoras de Mantinha de Seda

Havia uma viúva que tinha um filho muito aparvalhado. Um dia diz-lhe a mãe: – Vai à cidade, leva esta barranha de mel, vende-a e traz-me o dinheiro. O rapaz agarrou na barranha de mel e dirigiu-se à cidade. Pelo caminho viu-se perseguido por muitas coisas e falando nervosamente, para elas, dizia-lhes: – Se as senhoras querem comprar mel fazemos negócio, mas não me

Ver mais…


Macacos C 2 - Macacos de Imitação Macacos de Imitação

Havia um homem que negociava em barretes encarnados. Ora uma vez em África, ao atravessar o sertão, sentiu tanto calor que resolveu descansar à sombra de uma árvore, pondo um dos barretes na cabeça para evitar que alguns raios de sol, que se infiltravam pelos ramos, o incomodassem. Colocou, ao lado, a mala onde transportava os barretes e adormeceu. Horas depois, quando acordou, ergueu-se

Ver mais…


natal - MEMÓRIAS DE UM NATAL PASSADO MEMÓRIAS DE UM NATAL PASSADO

MEMÓRIAS DE UM NATAL PASSADO Quando era criança, na noite de Natal, eu e o meu irmão partia-mos nozes e avelãs no chão de cimento da cozinha, à luz do candeeiro, enquanto a minha mãe se ocupava das coisas que as mães fazem. Depois, quando o meu pai chegava, jantava-mos como sempre e seguia-se, propriamente, a cerimónia de Natal. Naquela noite o meu pai

Ver mais…


caroch10 - A Carochinha A Carochinha

Reza a história, bem velhinha, que havia uma Carochinha, que por ser engraçadinha, teimou que haveria de casar. Certo dia, quando estava a varrer a cozinha, encontrou uma moeda de cinco réis e correu para ir dizer à vizinha que já não tinha de esperar. Vaidosa como era, escolheu o seu melhor vestido e foi pôr-se à janela para ver se arranjava marido. Pensou

Ver mais…


princesas.. - A princesa Dos Sapatos Vermelhos A princesa Dos Sapatos Vermelhos

Um rei que tinha três filhas, todas elas muito bonitas. Dormiam juntas no mesmo quarto e com as camas umas ao lado das outras. O rei, que era muito desconfiado, fechava sempre a porta à chave, quando se iam deitar. Mas uma manhã, quando voltou a abri-la, descobriu com espanto que as solas dos sapatos da sua filha mais velha estavam gastas. Passado algum

Ver mais…


comer bem - A Preguiçosa A Preguiçosa

Era uma vez uma rapariga muito preguiçosa que foi pedida em casamento. O pai da rapariga disse ao pretendente que sua filha não lhe serviria por ser muito desleixada e preguiçosa. – Deixe-a comigo, respondeu o mancebo, sem desanimar. E ao fim de pouco tempo casaram e foram viver para outra aldeia. Logo no dia seguinte ao casamento o marido foi trabalhar para o

Ver mais…


bianchinaerosetta1youpoorbearcometothefire4 - Rosa Branca e Rosa Rubra Rosa Branca e Rosa Rubra

Uma pobre viúva que vivia numa casa onde cresciam duas roseiras; uma dava rosas brancas e a outra rosas rubras. As suas duas filhas pareciam-se tanto com essas duas roseiras que lhes pôs o nome de Rosa Branca e Rosa Rubra. As duas gostavam muito uma da outra e iam sempre juntas para todo o lado. Um dia, ao entardecer, enquanto a mãe lia

Ver mais…


sal e agua - O Sal e a Agua O Sal e a Agua

Um rei tinha três filhas; perguntou a cada uma delas, por sua vez, qual era a mais sua amiga? A mais velha respondeu: – Quero mais a meu pai do que à luz do Sol. Respondeu a do meio: – Gosto mais do meu pai do que de mim mesmo. A mais moça respondeu: – Quero-te tanto como a comida quer o sal. O

Ver mais…


passaro verde - El-Rei Pássaro Verde El-Rei Pássaro Verde

Era uma vez um homem que tinha uma filha e que casou com uma mulher que também tinha uma filha. A madrasta tratava a enteada muito mal. Um dia a menina viu vir um passarinho verde muito bonito, o passarinho falou e disse-lhe: – Arranja-me uma bacia de água, outra de leite e um laço de fita e fugiu. Ela assim fez e o

Ver mais…


Jorinde und Joringel by Gold Seven - Jorinda e Joringel Jorinda e Joringel

Uma velha bruxa, de quem todos tinham muito medo, e que vivia num velho castelo situado no meio de um bosque muito denso. Podia transformar-se num gato ou numa coruja e recuperar o seu aspecto normal quando lhe apetecia. Ninguém conseguia aproximar-se do seu castelo sem ficar paralisado por um feitiço. Numa pequena povoação perto do terrível castelo, vivia a rapariga mais bonita de

Ver mais…